Home arrow Poesia de Cordel arrow Penitência

Penitência

PDF Imprimir E-mail

O amor é uma desgraça

É um drama uma comédia

É o cavalo do diabo

Montado a pelo sem rédea

O amor fere o calcanhar

Na mais triste das tragédias

 

O amor é a mola mestra

Da catapulta inimiga

É a raiz que se alastra

Nesse peito de uma figa

Quem responde pelo amor

Por favor, me contradiga

 

O amor é o reverso

Do universo consciência

Uma piada cuspida

Da boca da providência

No lado escuro do amor

Pago minha penitência

 

O amor é uma pedrada

Na vidraça da barriga

O amor é um escravo

Moribundo de fadiga

Quem responde pelo amor

Por favor, me contradiga

 

Então pelo amor de deus

Afaste esse dor de mim

Que vá pro o inferno o cupido

Todo e qualquer querubim

Se tudo tem um começo

Que essa porra chegue ao fim

 
< Anterior   Próximo >

Powered by NIBA